Veja o que nossa gestão fez e está fazendo !

ALUNOS DO MEXA SE PARTICIPAM DE GINCANA PARA COMBATER A ARBOVIROSE

A Prefeitura de Coronel Fabriciano, por meio da Secretaria de Governança da Saúde, iniciou nesta terça-feira, 2, no polo do Floresta, a 1º Gincana Mexa-se contra o mosquito. Elaborada em uma parceira da Vigilância em Saúde e o Programa Mexa-se, a Gincana tem como principal objetivo mobilizar a população participante do projeto sobre a importância de combater as arboviroses diariamente e promover a interação da comunidade nas ações por meio de atividades esportivas, práticas e culturais.

 

O cronograma de abertura da Gincana segue até o 4 de abril, com a participação dos sele Polos do Programa, no qual serão repassadas as tarefas. Os polos irão competir entre si até maio, quando encerram as atividades.

 

Mais do que incentivar as equipes a desenvolver atitudes interativas para o enfrentamento das arboviroses, a Gincana visa também despertar o espírito de companheirismo e trabalho coletivo. Dessa forma, as equipes terão consciência da importância de se tornarem colaboradoras nas atividades de controle das arboviroses no município.

 

As tarefas propostas vão desde a elaboração de slogans, até a produção de um vídeo, mostrando medidas preventivas às arboviroses. Também serão feitas atividades preventivas e para eliminação ao Aedes Aegypti, além da coleta de óleo de cozinha usado, visando à proteção do meio ambiente.

 

De acordo com a Gerente de Vigilância em Saúde, Vânia Tavares, desde 2017, a gincana é o primeiro movimento realizado no município nesse formato, no qual estarão em uma competição saudável com um único objetivo. “A ideia é realizar esse controle para diminuir os do Aedes Aegypti, transmissor da Zika, Dengue, Chikungunya, e Febre Amarela no município”, completa.  

A Gincana eliminou mais de 26 mil inservíveis

Em Fabriciano, os participantes do Mexa-se, programa de promoção da saúde, “arregaçaram as mangas” e partiram para ação no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de arboviroses (dengue, zika, chikungunya e febre amarela) em seus bairros. Nos últimos 30 dias, alunos e professores dos sete polos estiveram mobilizados na 1ª Gincana Mexa-se contra o Mosquito. Juntos, a iniciativa retirou mais de 26 mil inservíveis das ruas, quintais e lotes vagos de Fabriciano.

 

Itens como pneus, latas, recipientes, garrafas PETS, ao acumular água limpa e parada, tornam-se potenciais criadouros do mosquito. “Estes são alguns dos lugares mais comuns de encontrar larvas do mosquito durante visitas de rotina e realização do LIRAa. Daí a importância da ação, que superou a nossa expectativas pela grande quantidade de inservíveis recolhidos e o grau de envolvimento dos participantes. A ideia é realizar a Gincana anualmente”, avaliou a secretária-adjunta, Vânia Tavares.

 

Elaborada em uma parceira da Vigilância em Saúde e o Programa Mexa-se, a Gincana teve o objetivo mobilizar as pessoas no combate as arboviroses diariamente e promover a interação da comunidade nas ações por meio de atividades esportivas, práticas e culturais.

 

O encerramento será nesta sexta-feira, 10, a partir das 18h, na Praça da Estação, com premiação os polos que mais se destacaram. A comissão julgadora será formada por profissionais da Saúde, Educação, Limpeza Urbana e representante da associação de catadores de recicláveis do município. As equipes classificadas em 1º, 2º e 3º lugar irão receber um vale brinde com a premiação, que será entregue posteriormente.

 

O encerramento da Gincana do Mexa-se acontecerá em conjunto com atividades em comemoração ao aniversário do Programa Mexa-se e o Dia Mundial da Saúde.

 

RESPONSABILIDADE DE TODOS

A Gincana Mexa-se contra o mosquito também enfatiza que a responsabilidade de cada um, somada ao coletivo, faz toda a diferença no combate ao Aedes e prevenção das arboviroses. De acordo com dados do último LIRAa, em Janeiro, Coronel Fabriciano mantém os índices de infestação em controle, o último LIRAa foi de 2,1% - no mesmo período em 2018, o LIRAa apurado era 4,1%. O preconizado pelo Ministério da Saúde como ideal é de 1%.

 

Segundo o Secretário de Saúde, Ricardo Cacau, a administração municipal tem feito o seu papel para manter a situação epidemiológica, e os casos de arboviroses sob controle. Mas ele frisa que mais de 70% dos focos do mosquito ainda é encontrado dentre de casas, cuja responsabilidade é do morador. “Desde o ano passado temos trabalhado de forma intensificada no combate aos possíveis focos do mosquito. Porém, é muito importante que toda a população contribua, com ações simples e rotineiras, para eliminar o mosquito e evitar doenças na cidade”, explica.